Professor explica surgimento de cachoeiras em paredões de Chapada

O registro das cachoeiras não passou despercebido pelas lentes de um guia de turismo e as imagens viralizaram

As cachoeiras que surgiram nos paredões no parque de Chapada dos Guimarães, a 65 km de Cuiabá, são explicadas pelo professor da Faculdade de Engenharia da UFMT (Universidade Federal de Mato Grosso), Caiubi Kuhn, em razão do material que compõe as rochas locais e o acúmulo de água das chuvas.

Kuhn, que também é presidente da Federação Brasileira de Geólogos, diz que devido as últimas chuvas, houve um acúmulo de água.

“Toda água que veio da chuva escorre pela superfície, chegando até a região ali da escarpa, na região onde tem ali o paredão e formam essas cachoeiras, relacionadas só ao momento de chuva”, explica.

Cachoeira das Andorinhas é uma das atrações do Circuito das Cachoeiras, em Chapada dos Guimarães. (Foto: Reprodução/ Adriano Souza)

Ele explica que a água não consegue infiltrar nas rochas, por isso, o acúmulo gera o efeito de cair em conjuntos nos paredões. “Quando acaba a chuva, a água terminou de escorrer, a cachoeira já deixa de existir”, diz.

O registro das cachoeiras não passou despercebido pelas lentes do guia de turismo, Fernando Buttura, que fez as imagens na tarde dessa quarta-feira (20).

Trilha inicia na portaria principal do parque nacional, localizada no Véu de Noiva, a 67 km da capital. (Foto: Reprodução/ Carioca Sem Fronteiras)

“Eu acho incrível porque tem que estar na hora certa ali por causa da quantidade de chuvas. Aquele arenito absorve a água, então tem que ser muita chuva para acontecer aquilo ali por pouco tempo. Foi super legal registrar”, conta o guia.

Sobre Noticidade Brasil 7240 Artigos
Noticidade Brasil é um portal de noticias que veio com a ideia de levar a informação de modo rápido e de fácil acesso ao publico. Contamos com uma equipe totalmente qualificado e com parceiros que estão aptos a nós ajudar levar a informação até você. Noticidade Brasil, a notícia a um clique de distancia.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*